sábado, 26 de julho de 2014

Coletânea Confissões - Poesia Eu Confesso


Pois é meus caros, hoje lhes apresento uma coletânea de poesias que é o must.

A Darda Editora proporcionou um concurso literário com o tema Confissões que resultou numa belíssima coletânea de pura poesia.

E sabem do melhor? Foi meu primeiro concurso. E não é que meus poemas foram selecionados e publicados. Estou que é felicidade só.

Agradeço a Darda Editora pela oportunidade. Aliás, por surpresa a editora está localizada em Campos, região Norte do Estado do Rio de Janeiro, portanto é meu vizinho, um pouco distante, mas vizinho ;) . Tenho certeza que daqui para frente a parceria será constante pois já aviso que vem novidade por aí.

Apresento uma de minhas poesias que consta na Coletânea Confissões e que foi devaneada após uma briga com meu amor, meu homem inspirador.


Eu Confesso


Quero-te.
Eu confesso,
digo não esperando um sim.               

Enlouqueço.
Desprezo-te, te debocho,
mas é raiva de mim.
Seguro o freio, não deixo a emoção.
Tenho ódio por não dominar o coração.

Eu confesso.
Queria dar-te o perdão.
Rasgo-me, entristeço,
mas não cedo, não.
Quero muito, não me basta o pouco.

Eu confesso.
Quero-te como louca.
Segure-me em tuas mãos.
Venha...
Arranque de mim o teu perdão.


Espero que tenham gostado. Ah! Querem saber se meu amor arrancou o seu perdão? Eu que arranquei dele e sempre arrancarei. :)

Lê Gomes


quarta-feira, 23 de julho de 2014

Na Colombo


Na Colombo, um encontro
de uma equipe pós trabalho.
Foram flashes para todo lado,
era preciso postar no face
e perpetuar aquele ato.

Os belos espelhos do salão,
refletiam nossa alegria
e um alvoroço inicial.
Não sabíamos o que escolher,
tudo gostoso parecia ser.

Chá de camomila, de maçã com hortelã.
Tinha doces e pãezinhos,
empadas e bolinhos.
De olho nas delícias
alguns queriam trocar
Fizeram até escambo.
- “Troco um biscoitinho e uma torrada,
por um pastel de Belém.”

E a tortinha de maracujá?
dividida,
em dois pratos foi parar.
A xícara de borda dourada
deu glamour a produção,
fez cabelos vermelhos
chamar atenção.

Na Colombo,
ao fundo um piano.
Muito chique esse lugar,
Mas chique mesmo,
foi nossa equipe
reunida a celebrar.


Lê Gomes.




sexta-feira, 18 de julho de 2014

Morango com chocolate

Gostamos tanto da brincadeira de criar estórias em família, que aí vai mais uma. Espero que gostem.

Morango com chocolate



Estava atrasada
para um almoço,
sai correndo, tropecei,
cai no poço.
Levantei a cabeça.
que lamaceira!

Humm... Agora que vi,
a lama é de chocolate.
Mas e agora, o que fazer?
Meu almoço eu vou perder,
virei morango com calda de chocolate.
Já sei!!! Chocolate fingirei ser.

Pensando bem,
se eu for assim,
o  que pensarão?
Que sou a sobremesa da refeição.


Ali mais a frente
vejo o hidrômetro cabeça de xampu,
talvez ele seja a solução.
Vem cá meu amigo,
deixe eu falar;
estou indo a um almoço,
mas não posso virar a refeição.
Pode ajudar?



- “Minha amiga, claro que sim.”

Logo em seguida,
Cabeça de xampu abre a boca,
e lança água em mim.
Fiquei limpinha
com o jato d´agua.
Resolveu-se o problema?
Claro que não.
Não fui para o almoço,
pois fiquei presa
nas bolhas de sabão.


Lê Gomes



P.S. Desenhos feitos e pintados pelos filhotes. Minha participação foi apenas na realização dos efeitos através do aplicativo Cymera.


quarta-feira, 2 de julho de 2014

A névoa e o colorido das flores


Hoje o dia amanheceu com uma névoa espessa ao ponto de não permitir vislumbrar o Pico das Agulhas Negras que aprecio com contemplação da janela do quarto.

O friozinho era intenso e a sensação era de que o dia seria nublado e cinzento.

Resolvi curtir o frio geladinho cuidando das plantas do jardim. E... por que não dar um colorido de flores num cantinho esquecido do quintal? Pois foi o que fiz, mexi na terra úmida, andei pra lá e pra cá  atrás de terra e mudas de planta, pisei no côco do cachorro alegre e brincalhão e me surpreendi por não ter ficado com nojo, apenas fui a torneira e lavei os pés (se tratando de mim, que surpresa!).

Voltei para a terra e meu plantio. Relaxei. E quando dei por mim o sol estava ali, lindo, radiante a me aquecer com seus raios. O cinzento ganhou cor de um céu azul, deixando mais belo o cantinho de flores coloridas que fiz.

É, acho que assim é a vida, os dias mais cinzentos e gélidos podem esconder coloridos e se transformarem em dias lindos e quentinhos que aquecem o frio triste de uma manhã.
Tiger ( foto de Paulinha)
Ah! O nome do cachorro alegre e brincalhão é Tiger, um lindo cão negro que faz do seu quintal um espaço de alegria e que permitiu, num amanhecer com névoa, dividir comigo
este prazer .