segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Fúria de amor



Deixe a fúria levar todo pranto, e que a dor sentida se vá ao ouvir o canto suave da voz que canta amor. 

Fúria, arranque os espinhos de minhas mãos que  receberam as rosas, e que cada espinho retirado seja para exalar o aroma da paixão sangrenta.

Foto Lê Gomes
Que o ranger dos meus dentes durante a fúria, permitam que meus lábios sejam acalmados por um beijo . 

E a fúria dos meus olhos que refletem a chama do amor perdido, transforme em rio as lágrimas que escorreram pela minha face, por te ver ajoelhado chamando por mim.

Rasgue-se em fúria pelo silêncio do grito que deverias ter dito e que silenciado ficou.

Deixe a fúria  permanecer apenas na timbre da voz que canta amor.


Lê Gomes


terça-feira, 23 de dezembro de 2014



As vésperas do Natal, uma mensagem de fé em poesia.



Na escuridão, ele sempre está lá.
Na profunda tristeza, ele está lá.
Foto Lê Gomes
É Cristo vivo a acalantar aqueles que sofrem,
que sofrem, sofrem.

Creia.
Deus nunca te abandonará.
Creia.
É Deus a te chamar.

Nos gritos, na dor,
ele está lá.
Quando você se sentir só,                               
ele estará lá.

Creia.
Deus nunca te abandonará.
Creia.
É Deus a te chamar.

Ouça o canto dos pássaros,
o  chamado do rio e a batida do mar.
Ouça.
É ele que está lá.

Está em todo lugar.


Lê Gomes