quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Apenas cinco segundos



Faltam cinco segundos.
Faz dez minutos que são cinco segundos.
Volto a olhar e ainda restam cinco segundos.
O que se pode fazer em cinco segundos?
Olhar a tela e contar os  segundos que virarão minutos?

Aff! Ainda cinco segundos.
Imagino que o tempo parou nos cinco segundos. 
Irei correr e dizer-te – Te amo!
Será que levaria cinco segundos?     
Escrevo este verso, vejo a tela e ainda faltam cinco segundos.

Como perder cinco segundos que já se foram?
Oh Dúvida!
São apenas cinco segundos.
Pronto deletei,
lá se foram os cinco segundos
que nunca usarei.


Lê Gomes


domingo, 13 de setembro de 2015

O Primeiro Amor



O primeiro amor a gente nunca esquece. Não esquecemos ou por ter sido correspondida no seu sentimento, ou por ter sido rejeitada por ele.

Foto Lê Gomes
Lembro do meu primeiro amor. Era um menino loiro, bonito, mas nada inteligente. Ele era um amigo, mas quando da revelação de minha paixão por ele, o mesmo passa a me ignorar e rompe a amizade por puro esnobismo. Nossa! Como eu achei ridículo, e como mesmo assim continuei a gostar daquele menino loiro, bonito, mas nada inteligente.

Sofri como todo primeiro amor adolescente sofre. Derramei lágrimas e lágrimas, jurei nunca mais amar ninguém.

O tempo passou, mudamos de escola. Depois é claro tive outras paixões, alguns também com o título de primeiro amor que depois vinha a descobrir que não se tratava do amor verdadeiro. Mas, a melhor lembrança desse primeiro amor veio alguns anos depois quando numa festa escolar vejo de longe um menino loiro, bonito e que eu sabia não ser nada inteligente me olhando, me paquerando insistentemente (nem sei se usa ainda este termo paquerando).

Naquela festa muitos bilhetes chegaram daquele garoto até mim, muitos olhares e pedidos para conversar. Não acreditei. Era aquele meu primeiro amor que me esnobou e no qual chorei muitas noites e ao som de músicas melosas.

Deixei que se aproximasse e ele veio loiro, bonito, nada inteligente e muito galanteador até mim. Apenas disse;

- Você não se lembra de mim?

- Nos conhecemos? Que sorte a minha – Ele falou.     

- Nós estudamos juntos. Respondi.

A lembrança da cara de babaca, misturada com o que fazer para enfiar a cara num buraco, é a melhor lembrança que tenho. O garoto loiro, bonito e nada inteligente, já não era tão loiro, já não era tão bonito e continuava nada inteligente.

Meninas saibam que sempre haverá primeiros amores, mas o verdadeiro será aquele no qual seus olhos cruzarão com os dele e vocês saberão que não será o primeiro, mas será o seu eterno amor, aquele que você irá querer viver todos os momentos de sua vida ao seu lado.


Lê Gomes